Social Icons

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Proibido - Tabitha Suzuma



Image and video hosting by TinyPic

Proibido


Ela é bonita e talentosa, está em seus doces dezesseis anos e jamais beijou alguém. Ele é bonito, tem dezessete anos e está caminhando para um futuro brilhante. E agora eles estão apaixonados. Mas o único problema… é que eles são irmãos. 
Maya, de dezesseis anos de idade e Lochan, de dezessete nunca tiveram a chance de ser adolescentes "normais". Tendo juntos que ser os responsáveis durante anos em cuidar de seus irmãos mais novos, enquanto a sua rebelde, mãe bêbada os deixou para se defenderem do mundo sozinhos, eles tornaram-se muito mais do que irmão e irmã. E agora, eles se apaixonaram. 
Mas este é um amor que nunca poderia ser permitido, um amor que terá consequências devastadoras... Como pode uma coisa tão errada fazê-los se sentir tão bem?


Resenha da Bel


Se você acabou de ler essa sinopse e desistiu por causa do tema "incesto", sugiro que continue lendo mesmo assim. Esse realmente é um livro surpreendente, escrito de uma forma intensa e escura, mas não suja. 
Ao iniciar este romance eu estava um pouco tensa, cheia de preconceitos gritando em meus ouvidos, não que agora eu seja a favor. Cheguei só cheguei a conclusão de que não podemos julgar , apontar o dedo, pois, com certeza, essa é uma situação pela qual ninguém merece passar.  Ninguém em sã consciência escolheria isso pra si. 
Adiei e resisti ao máximo mas acabei me rendendo e lendo. Não me arrependo. Você me perguntaria: Porque então resolvi lê-lo? Bem, confesso que  estava extremamente curiosa. 
A leitura deste livro mudou a minha visão sobre algumas coisas, uma sensação que eu não posso sequer explicar muito bem, pois nunca tinha sentido antes e sequer havia pensado sobre elas. Forbidden é um livro que fala sobre  pessoas reais, dramas reais. Não vou me aprofundar muito sobre o tema, deixarei que tirem suas próprias conclusões, mas posso adiantar que vai mexer com suas emoções.
O livro conta a história dos irmãos, Lochan 17 anos e  Maya 16.  Lochan é muito inteligente e estudioso, mas extremamente tímido e fechado. Maya é sua única amiga, a única pessoa com quem ele pode se abrir.  Já Maya é social e amigável. 
Com uma mãe alcoólatra e um pai que abandonou a família quando eles eram crianças, eles tem que alimentar e cuidar de seus três irmãos mais novos. Eles são forçados a crescer rápido demais e tem a responsabilidade de pais, enquanto ainda são crianças. Os problemas familiares e a luta do dois fizeram meu coração doer. 
Lentamente, Lochan e Maya começam a perceber que o amor que eles sentem  um pelo outro não é normal. Claro que não vou contar o final, mas a partir da sinopse já dá pra ter uma ideia do que acontece com os irmãos. O que posso dizer é que é intenso demais e fiquei alguns dias me sentindo um pouco afetada e emocionalmente desgastada.
Para quem não tem medo de lidar com emoções intensas e gosta de viajar por todas elas através dos livros, eu recomendo. Ele me fez lembrar quando li o livro "Como eu era antes de você" que me deixou extremamente mexida por uma semana.
Alerto que se for lê-lo tem que entrar nele com uma mente aberta. Fiquei surpresa pelo livro ser um YA, pois na minha opinião, apesar de se tratar da história de adolescentes a leitura é mais apropriada para adultos. 
Enfim, se você quer um livro que te leve a pensar, questionar seus valores, este é para você.  




"Você pode fechar os olhos para as coisas que você não quer ver, mas você não pode fechar o seu coração para as coisas que você não quer sentir."


"Ele é minha alma gêmea, meu ar fresco, a razão pela qual estou ansioso para levantar todas as manhãs."


"É sempre bom ser querido. Mesmo que seja pela pessoa errada".

 g


Fonte: Skoob
Postado por Bel

3 comentários :

eduarda disse...

Quando eu li "Como eu era antes de você" eu chorei por um uma semana quando lembrava de alguns trechos, o livro é lindo, mas tão triste. Vou começar a ler esse livro depois das minhas provas, não quero está abalada emocionalmente, acho que eu vou gostar tanto dele, fiquei curiosa depois do que você comentou.

Lidiane Maria disse...

Amei o livro, realmente nos faz pensar sobre os preconceitos aos quais somos socialmente expostos desde que nascemos. Para que fique claro, não sou a favor do incesto. Mas também não sou a favor do aborto ou prostituição, mas não julgo quem se decide por fazer qualquer coisa desse tipo, afinal, "os envolvidos no ato respondem pelos seus atos". Quem vai ter ou não remorso com relação a tudo isso é apenas quem pratica o ato e se houver algum tipo de punição celestial pós morte a afirmação ainda é a mesma. Por isso, acho que se um determinado ato, ou escolha é feito de forma consensual, ninguém que não esteja diretamente envolvido deve se intrometer ou julgar.

amy ian disse...

Eu adorei e odiei esse livro ao mesmo tempo. Acabo de terminar a leitura e não consigo parar de chorar, com um amor tão lindo e uma historia tão trágica, estou começando à olhar a perspectiva do amor de uma forma totalmente diferente. sinto que não sei nada da vida e, por mais ingenua que possa parecer, quero que casos assim de tanto sofrimento por não amar "quem deveria" permaneça apenas em livros fictícios, não consigo imaginar pessoas reais sofrendo tanta dor por algo que não podem controlar. No livro eles são tão sozinhos, tão desamparados e ninguém faz porra nenhuma para ajudar e quando eles conseguem se enquadrar, de alguma forma encontrar o centro de seu furação, um lugar seguro, feliz, pessoas que não sabem, que não se importam tentam lhes impor limites. Vivemos em um mundo tão hipócrita que a sociedade, todos os humanos tentam desgraçar a vida de quem consegue ser feliz.
Não poderia imaginar que tal enredo fosse terminar arrancando o meu coração do peito.
Eu gostaria de agradecer ao blog por indica-lo, muito obrigada.

Postar um comentário

CAROS LEITORES:
ESTE ESPAÇO DESTINA-SE APENAS A COMENTÁRIOS SOBRE POSTAGENS.

EQUIPE CLC



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Papo de Leitor (a)

Regras do Chat